Ergonomia e seus impactos na saúde!

A etimologia da palavra ergonomia vem do grego ergon, que significa trabalho, e nomos, de regras ou normas. Não só focado no ambiente corporativo, o trabalho referente à palavra ergon é relacionado a tudo que demanda um gasto energético, ou seja, qualquer ação ou interação com o que está em nosso ambiente.

Apesar de a ergonomia estar muito presente em nossas vidas, no ambiente de trabalho, especialmente, ela tem um enorme destaque, o que contribui para sua evolução constante. Seus impactos na vida de colaboradores são tão benéficos que ajudam a evitar problemas de saúde futuros, incluindo proteção para o funcionário e também para a empresa.

Nesse sentido, confira, a seguir, os tipos de ergonomia que podem ser aplicadas no ambiente de trabalho.

  1. Ergonomia física

    Ergonomia física são as normas relacionadas aos aspectos anatômicos de uma pessoa, ligados à sua forma, ao movimento e à capacidade física, e o objeto ou processo de interação. No ambiente corporativo, ela analisa espaços de circulação, descanso e a própria estação de trabalho. Afinal, é nela que os funcionários passam a maior parte do tempo do experiente.

    Um exemplo de como a ergonomia física pode ser aplicada em um escritório é a avaliação da altura de mesas em conjunto com a escolha de cadeiras ergonômicas que favorecem a postura e atuam como preventivo para a saúde do trabalhador. Apoio para os braços e uma curvatura que acompanha o formato natural da lombar são necessários para longas horas no escritório.

    Uma cadeira inadequada pode causar dores de cabeça e no pescoço, problemas na coluna, como lombalgia, e até lesões a longo prazo. Como o maior tempo de vários trabalhos corporativos é realizado com a pessoa na mesma posição, é necessário que o mobiliário seja o mais adequado possível.

  2. Ergonomia organizacional

    A ergonomia organizacional visa à relação entre líderes e colaboradores de forma que as pessoas que trabalham para a empresa sintam-se valorizadas e bem cuidadas. A preocupação dos líderes e gestores deve ir além da produtividade, dos resultados obtidos e das metas estabelecidas, estendendo-se à saúde, ao bem-estar e ao conforto do funcionário.

    Entre os benefícios da aplicação da ergonomia organizacional em uma empresa está a redução de problemas de saúde psíquica de colaboradores. Sabemos que o estado mental e emocional reflete muito no desempenho diário das pessoas.

    Estimular e acolher pode trazer benefícios como alívio de estresse, redução de conflitos, promoção de relações interpessoais e estímulo da sensação de pertencimento ao grupo. Consequentemente, a melhora desses aspectos traz à empresa o aumento de produtividade.

  3. Ergonomia cognitiva

    Ergonomia cognitiva é responsável por avaliar os aspectos mentais, responsivos e de aprendizado do indivíduo no ambiente corporativo. Pode ser dividida na análise de pensamentos e emoções e suas interações com o ambiente, maquinário e outras pessoas.

    A análise do aspecto cognitivo contribui para a pessoa reter conhecimento aprendido e desenvolver um bom trabalho por meio de memória, atenção, concentração, raciocínio lógico e tomada de decisão.

    Ela ajuda também a identificar possíveis problemas que podem prejudicar a saúde mental do colaborador, como relação de confiança no convívio com outras pessoas, níveis de estresse adquiridos em rotinas de trabalho e até tomadas de decisão. Ambientes podem ser projetados para auxiliar a descarga emocional e o estresse do dia a dia, com alguns ajustes, como mobiliário e iluminação.

    Se você quer ter um local de trabalho iluminado corretamente para fazer as suas tarefas com excelência, precisa ter alguns cuidados na hora de escolher as luminárias. Compre os dispositivos indicados para escritórios, que iluminem o espaço e que possam ser posicionados sem causar reflexos nos equipamentos e outros objetos. Veja, a seguir, outras dicas!

  4. Ergonomia visual
    Sabemos que existem fatores que podem prejudicar e danificar a visão a longo prazo. A ergonomia visual (ou ergonomia ocular) cuida da adequação do ambiente, de forma a evitar ao máximo o risco de lesões oculares ou o desenvolvimento de distúrbios na visão.

    A exposição excessiva a telas e luzes com intensidades diferentes, além de causar problemas diretamente na visão, pode agravar, inclusive, os níveis de estresse. Iluminações artificiais devem ser planejadas com cuidado, lembrando que luzes com tons amarelados remetem mais ao aconchego e relaxamento, enquanto as mais frias, tendendo para o azulado, provocam um efeito de estímulo.

    As principais formas de aplicar a ergonomia visual são pelo uso de proteção em janelas contra luz solar, ajuste adequado da luminosidade de monitores e dispositivos com telas, descanso da visão a cada 20 minutos, incluindo exercícios de piscar os olhos.

Ergonomia e seus impactos na saúde

Todos os tipos de ergonomia visam a impactar de forma preventiva a saúde das pessoas que interagem em determinado ambiente. Excesso de exposição a condições inadequadas pode custar prejuízos, incluindo lesões irreversíveis em casos extremos.

Naturalmente, o corpo humano não foi “projetado” para enfrentar longas horas em uma tela de computador ou em posição imóvel, e, muitas vezes, o resultado desse tipo de hábito só é colhido lá na frente, quando estamos em idade avançada.

Dentre os benefícios e impactos que todos os tipos de ergonomia trazem para o colaborador, estão, principalmente, a redução de problemas de saúde física, que vão de melhora de postura, com a diminuição de risco de lesões traumáticas e a prevenção de distúrbios na visão.

No campo mental e emocional, os benefícios trazem a redução de estresse e de conflitos interpessoais, o aumento de produtividade e motivação, além de impactos no desempenho cognitivo dos funcionários.

Para as empresas, os benefícios dos diferentes tipos de ergonomia vêm em forma de redução de custos. Afinal, mais motivação, menos faltas, menor possibilidade de processos e maior produtividade interferem indiretamente no financeiro de um negócio.

A escolha de mobiliário de qualidade que siga a NR17 – Norma Regulamentadora 17 – é de extrema importância para a aplicação da ergonomia de forma correta e, assim, evitar prejuízos futuros para colaboradores e empresas.

fonte: Conteúdo extraído do blog https://blog.flexform.com.br